Transtorno do Pânico

AEROFOBIA

A Aerofobia é o nome dado ao medo de andar de avião e é classificado como um Transtorno Psicológico que pode atingir tanto homens quanto mulheres em qualquer faixa etária e pode ser muito limitante, podendo impedir o individuo de trabalhar ou passar férias devido ao medo, por exemplo.

Estudos internacionais referem que cerca de um terço (entre 20 a 40%) da população adulta tem medo de viajar de avião. E, diz a voz popular com a sua ancestral sabedoria, “se Deus quisesse que o homem voasse, tinha-lhe dado asas“.

A verdade é que viajar de avião é, para todos os efeitos, uma situação anti-natura, que produz na maioria das pessoas uma excitação e um nervosismo compreensíveis. A aceleração, a velocidade, a altitude, a vibração e os ruídos característicos do avião, são estímulos que ativam naturalmente o sistema nervoso, desencadeando sensações físicas que são perfeitamente normais.

O simples fato de não ser uma situação de rotina, pois nem todos os dias fazemos viagens de avião, pode ser o suficiente para deixar a pessoa mais estressada. O fazer as malas, as despedidas no aeroporto, a pressão do tempo, os atrasos, a confusão de gente, as filas, a perda de ligações, a posição de sentado durante várias horas, a mobilidade reduzida, tempos de espera sem nada para fazer, a incerteza quanto ao que vai acontecer no destino, etc, são condições que podem produzir uma tensão emocional que é não só compreensível como natural.

O importante é distinguir a ansiedade normal do medo irracional ou fóbico. O medo de voar começa a condicionar a vida das pessoas e a tornar-se um problema quando a irracionalidade domina a situação e a viagem passa a ser uma fonte de ansiedade e sofrimento que a pessoa não controla.

As definições médicas mais correntes definem a aerofobia como um medo acentuado, persistente e excessivo que surge quando a pessoa é confrontada com a perspectiva de viajar de avião. A exposição a este estímulo fóbico provoca quase sempre uma reação de ansiedade – nalguns casos pode atingir o ataque de pânico – que o indivíduo reconhece como desproporcionada e que produz um enorme transtorno e interferência na sua vida pessoal, profissional, social ou familiar.

O medo de voar pode ter graus de severidade diferentes: desde a ansiedade de voo ligeira até ao medo paralisante, com total incapacidade de entrar num avião. Pode afetar desde aquelas pessoas que nunca voaram na vida até aos passageiros aéreos mais frequentes.

Normalmente é acompanhado por sintomas físicos e psicológicos que podem surgir no dia do voo ou, em casos mais graves, semanas ou meses antes da viagem (ansiedade antecipatória). Perda de peso, nervosismo, insônias, irritabilidade, preocupação excessiva, sensação de falta de ar, tensão muscular, evitar pensar na viagem, são alguns dos sintomas que podem surgir algumas semanas antes do voo.

Procure um Médico Psiquiatra.

Dr. Vicente Gomes – Excelência em Psiquiatria